um Poema…

2 07 2008

Vivam! Como têm passado? Estou a escrever, porque quero partilhar convosco um poema de Fernando Pessoa, que li num livro que tenho pousado na mesa de cabeceira. Aqui fica ele:

Dorme enquanto eu velo…

Deixa-me sonhar…

Nada em mim é risonho.

Quero-te para sonho,

Não para te amar.

A tua carne calma

É fria em meu querer.

Os meus desejos são cansaços.

Nem quero ter nos braços

Meu sonho do teu ser.

Dorme, dorme, dorme,

Vaga em teu sorrir…

Sonho-te tão atento

Que o sonho é encantamento

E eu sonho sem sentir.

Espero que gostem, certamente não tanto como eu, mas é um poema bem conseguido, bonito e com o qual nos podemos identificar… Continuem agarrados a vós mesmos…


Ações

Information

3 responses

2 07 2008
José Sá

Olá Diogo. Este poema e a forma como terminaste deixaram-me pensativo… em relação a ti. É bom gostarmos de nós, saber abraçar-nos. É fundamental. Mas não podemos ficar assim para sempre, sozinhos. E o amor deve ser vivido, sentido, apreciado, procurado, conquistado, conservado, e também sonhado. Mas viver apenas do sonho de amar… não é bom. Não tenhas medo… mesmo que por vezes a desilusão possa ser forte. É preciso lutar… e acreditar…. força

3 07 2008
diogojrs14

eu gosto de mim, mas também não sou apaixonado por mim. Eu acredito que ao gostar dos outros, aprendo também a amar-me a mim mesmo, porque, gostando dos que me rodeiam, reconhecendo e identificando o que eles têm de bom e as suas qualidades, vou conseguir encontrá-las e admirá-las no meu ser e na minha pessoa…
eu não tenho medo de amar, tenho medo do que isso pode implicar, da incerteza, da frustração, da angústia que pode fornecer à vida…não é fácil trepar estes obstáculos, destruir estas barreiras…

20 12 2008
einsteintania

Este ano tive oportunidade de conhecer melhor este génio literário que é Fernando Pessoa. Penso que todos nós nos identificamos com Pessoa ortónimo ou heterónimos, independentemente da fase da vida onde nos encontramos.
Concordo quando dizes que não tens medo de amar, tens medo do que amar possa implicar…Amar alguém não depende de um só, depende de duas pessoas, e isso muitas vezes leva-nos a sofrer desilusões, frustrações e angústias quando as relações não correm como sonhámos. Por isso acho que não devemos amar sonhando, devemos sim amar na vida real, em coisas concretas, possíveis…Devemos negar ilusões e acreditar que algum dia vamos amar sem ter medo do que isso possa implicar.

Um abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: